Paulo Sousa | SDI – Divisão de Serviços Electrónicos | Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto | Colaborador do blogue

Alguém consegue prever quanto tempo ainda vamos esperar até serem disponibilizados robôs bípedes para auxiliarem os utilizadores e os profissionais da informação nos diversos sistemas de informação (bibliotecas, arquivos, centros de documentação, empresas, etc.)?
Não estou a ser utópico nem a falar de ficção científica…

Através da mutação tecnológica existente já se desenvolveram alguns produtos que estão a ser introduzidos no nosso contexto profissional. Veja-se o caso ROVER (Retrieval Online Via Electronic Robot) da Chicago State University Library. Por sua vez, a University of Louisville’s Ekstrom Library também dispõem de um sistema semelhante. Esta evolução tem sido possível através do uso da tecnologia RFID tags.

Enquanto não chegam os robôs bípedes às nossas bibliotecas e arquivos, podemos deliciarmo-nos com o vídeo do Asimo. Este é o robô mais avançado do mundo, concebido pela Onda, e veio pela primeira vez a Portugal. Pode ser visto no Salão Automóvel de Lisboa, na FIL (Parque das Nações), até ao dia 4 de Maio.

Já imaginou chegar a uma biblioteca, assentar-se numa mesa e ser recebido por um robô. Com base nesta premissa, deixo-vos uma questão: Quais as implicações desta transformação para a nossa profissão (enquanto actividade) e para a respectiva classe profissional?

Nota:

Desde já agradeço o convite da Direcção da Delegação Norte da BAD para integrar o leque de colaboradores deste blogue. Estou certo que esta “ilha de informação digital” será descoberta por todos os viajantes do “espaço de fluxo”, nomeadamente pelos profissionais da informação que de algum modo estão atentos às mutações infocomunicacionais e contextuais da nossa profissão, pelo menos assim o espero.

Por fim, os meus votos: uma boa experiência de usabilidade, acessibilidade e de leitura da informação do blogue para todos!

Advertisements