António Andrade | Faculdade Economia e Gestão | Universidade Católica Portuguesa | Colaborador do blogue

As teorias educativas centradas no construtivismo e no acto de aprender têm hoje, na tecnologia, um potencial de aplicação.
Mas não há modelo para aquilo que nunca se viu! Nota-se então, no ensino superior, e na aplicação do designado acordo de Bolonha, dificuldade em perceber definitivamente que o ensino é: partilhar, colaborar, criar, reutilizar, citar, investigar. Ou seja é explorar o potencial da Web 2.0, é criar a Wikiversity!
Não adianta disponibilizar uns textos numa plataforma de elearning, pedir como exercício um texto de 10 páginas, entregue no gabinete, na secretaria, ou num caso «sofisticado» via upload na plataforma. Porque é que o texto em suporte digital não tem vídeo, original ou fruto de um remix feito com ferramentas simples, potentes e grátis. Mas porque deve ser um texto e não só o vídeo, ou uma TV de Grupo, ou de estudante (veja-se mogulus.com). Ou porque o docente não tem o seu canal de TV gratuito?
Se os jovens foram socializados pelo multimédia, aprenderam desde bebés a processar centenas de imagem por minuto, não devem explorar um novo mundo? Navegar em ambientes como o Piclens, e encontrar taxonomias de informação em ambientes como, entre muitos outros: wikimindmap.org, thinkmap.com, theBrain.com, ou em touchgraph.com. Mas também explorar learn games que antecipam cenários, obrigam ao trabalho de equipa, à tomada de decisão e ao lidar com a pressão. Certamente não estão motivados para a configuração pedagógica actual das Universidades.
A Universidade está perante a Globalização das Fontes de Saber. O paradigma não é os conteúdos fechados na plataforma, ou na sala de aula. Veja-se a iniciativa do MIT on-line e da U. Berkeley (330H YouTube).
O Grande Armazém – A Universidade – tem de redescobrir a capacidade de se centrar no aluno e extrair motivação e capacidade de trabalho que leve à informação de qualidade e desta ao conhecimento.
O que se ensina, como se ensina e avalia mudou. Porque mudou a quem se ensina!

Anúncios