APRESENTA

DOZE MESES MENOS UM – RASCUNHO # 5

EMBRECHTADOS

a poesia de Bertolt Brecht, na Casa Museu Nogueira da Silva
segunda-feira, 25 de Maio de 2009 às 21h30

com| ANA ARQUEIRO, CARLOS SILVA, CRISTIANA OLIVEIRA (SOPRANO), DANIEL PEREIRA (BANDOLIM), FERNANDO DUARTE, FRANCISCO SERAFIM (PERCUSSÃO), GASPAR MACHADO, HUGO CUNHA (PIANO), IRENE BRITO, LUÍSA FONTOURA, E PEDRO GUIMARÃES (VIOLA)

fotografias | PEDRO GUIMARÃES

cúmplice | BRHUNO DA FONTOURA

cumplicidades | MUSEU NOGUEIRA DA SILVA, BIBLIOTECA PÚBLICA DE BRAGA, VELHA-A-BRANCA – ESTALEIRO CULTURAL

direcção | ANTÓNIO DURÃES

organização | Sindicato de Poesia

apoios | Museu Nogueira da Silva, Velha-a-Branca

… do recital…

A poesia de Bertolt Brecht, já nos andara no sopro em inúmeros recitais. Contudo, nunca como hoje nos detivemos assim, à volta das suas palavras, com o tempo distendido, sem a pressa do próximo poeta, nem do próximo poema. É certo que Brecht foi, principalmente, um autor dramático, marcante do teatro que hoje se faz. Mas também foi um poeta. Dos grandes. É igualmente certo que houve momentos em que foi muito representado, quiçá excessivamente e, noutros, quase esquecido, desmaiado no esquecimento pequeno-burguês das muitas bodas com que vamos sendo anestesiados. Mas num ápice, por causa da crise ou nem por isso, ei-lo que torna, intemporal, único, em meia Europa. Connosco, claro está, regressa pela porta da poesia. E no caso deste emBRECHTados, na tradução única de Paulo Quintela, e na selecção ocasional destes quase trinta poemas de entre as centenas que compôs.

Nasceu Eugen Berthold Friedrich Brecht este Brecht que hoje dizemos/lemos/cantamos, na Baviera, em Augsburg, a 10 de Fevereiro de 1898, e a morte cruzou-se com ele em Berlim, a 14 de Agosto de 1956. A 1ª guerra mundial encontrou-o a trabalhar como enfermeiro num hospital de Munique. Após a eleição de Hitler em 1933, exilou-se na Áustria, Suíça, Dinamarca, Finlândia, Suécia, Inglaterra, Rússia e finalmente nos Estados Unidos. Depois da diáspora agressiva que experimentou, regressaria para fundar a sua companhia de teatro, o Berliner Ensemble, estrutura de referência no mundo teatral. Mas hoje, é do teatro da poesia que se fala. Ou que se diz. Neste rascunho.