A iniciativa “Sala de Leitura Feminina na BPMP” acontece amanhã no dia Internacional da Mulher no Auditório da Biblioteca Pública Municipal do Porto às 18h00.
Em destaque: as mulheres, o espaço público e a leitura pública de 1945 a 1952, na cidade do Porto.

«Adozinda uma jovem aluna de Farmácia dirige-se à Biblioteca Pública do Porto para ler num espaço recém-criado: a Sala de Leitura Feminina, só para mulheres.

Com a história ficcionada desta jovem leitora – baseada contudo na História – se cruzam outras histórias de mulheres na criação dessa
Sala: a de Tília Dulce Machado Martins, que legou a maior parte das obras que integrarão a sua coleção; e a de Virgínia de Castro e Almeida, escritora e produtora de cinema, a quem a cidade homenageia ao dar-lhe o seu nome. A criação deste espaço segregado é analisada de par com o uso do espaço público por mulheres nessa época, com referências à sua condição de no que tocava a literacia, autoria de textos, trabalho fora de casa, ocupação do tempo, etc.

Falar-se-á sobre espaços segregados dentro de espaços públicos e semi-públicos e suas vantagens ou desvantagens, quando reinava o
adágio ‘a rua ao homem, a casa à mulher’. Assim como se falará das leituras que se podiam fazer aí e de que livros acompanhavam essa
coleção ‘feminina’, ou de quem frequentava esta sala.»

A marcar o dia Internacional da Mulher. Apresentação de resultados de investigação de Paula Sequeiros e Sónia Passos