O acesso à informação em saúde, aos registos clínicos de cada um de nós, não é um assunto que apenas interesse aos proprietários da informação: os doentes. Também os profissionais de saúde, médicos, enfermeiros e outros, autores desses registos, têm direitos e deveres neste domínio.  

De igual modo, as instituições de saúde, fieis depositárias desse património informacional, têm direitos e deveres, cujos sujeitos não são apenas os doentes e os profissionais de saúde.

Onde acaba o acesso legitimo e começa o acesso ilegítimo?  Como podemos garantir o cumprimento da lei no domínio do acesso à informação em saúde?  Que direitos e deveres aqui estão em causa? E de quem?

O Centro Hospitalar de São João e a CADA (Comissão de acesso aos documentos administrativos) organizam, no próximo dia 19 de Novembro, o Iº Colóquio do Acesso à Informação em Saúde que terá lugar na Aula Magna da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (FMUP), entre as 8h30 e as 17h30.

De forma a garantir a sua participação no colóquio e a posterior emissão do respetivo certificado deverá inscrever-se em http://acessoinformacaosaude.pt.vu.

Para mais informações consulte: www.chsj.pt