Plano de acção

HÁ NORTE !
ACREDITAR E MOBILIZAR


Plano de acção 2011-2013

PREÂMBULO:

A lista “Há Norte! ACREDITAR E MOBILIZAR”, candidata à eleição para os órgãos regionais do Norte da Associação Portuguesa de Bibliotecários, Arquivistas e Documentalistas propõe o seguinte programa de actuação para o triénio 2011 > 2013.

O associativismo deve ganhar cada vez maior infuência e importância no seio da sociedade e de grupos profissionais para reforçar a acção colectiva na defesa de interesses comuns e individuais. Interessa existir uma associação verdadeiramente mais próxima do associado que defenda os interesses e necessidades de cada um no âmbito da sua profissão, incentivando a um maior envolvimento e uma maior responsabilização de todos através de sugestões e críticas, com o objectivo de fortalecer cada vez mais a nossa categoria profissional. Assim a acção conjunta será com certeza mais reforçada e representada junto da comunidade, estabelecendo uma unidade cultural da profissão.

Neste âmbito, a lista “Há Norte! ACREDITAR E MOBILIZAR” consigna a sua missão e os seus objectivos no lema nacional “VAI VALER A PENA”. O plano de acção para a eleição dos órgãos nacionais refere no seu preâmbulo:

“os profissionais de Informação e Documentação procuram acompanhar as mudanças tecnológicas e organizacionais, desenvolvendo novas competências, afirmando o seu espaço, traçando novas fronteiras para a profissão, abrindo novos mercados de trabalho. Esta diversidade será garantia de sustentabilidade e de futuro.”

O plano de acção supra‐citado, defende ainda que:

“Os desafios que hoje se colocam numa realidade global e em acelerada mutação só podem ser vencidos com a coesão de todos os profissionais em torno da sua Associação e com a mobilização do conhecimento e da energia de todos os seus membros.”

A missão da lista “vai valer a pena” deseja: “Afirmar a BAD como uma associação relevante para os jovens profissionais”.

ACREDITAR nesta missão, potenciar a sua promoção através da intervenção de todos constitui uma verdadeira integração e MOBILIZAÇÃO profissional.

1. COMUNICAÇÃO E RELAÇÕES INSTITUCIONAIS

A comunicação é um processo fundamental entre a Delegação Regional Norte e os seus associados e comunicar implica necessariamente interagir: dar a conhecer, recolher opiniões, debater e agir. A Delegação Regional deve ser um lugar de troca de informações, de experiências e de saberes.

Constitui propósito da presente lista:

‐ Desenvolver o envio para os associados de informações diversas, notícias, circulares, programas de formação em suporte papel através do correio electrónico, facilitando a troca de mensagens, a disseminação rápida e agilizada da informação bem como a poupança de diversos recursos e meios, exceptuando as comunicações que são, por força do Regulamento, obrigatoriamente enviada por correio terrestre;

‐ Organizar fóruns de discussão nas redes sociais e ciclos de debates sobre a profissão na

Região Norte, sobre a formação e sobre alguns problemas e temáticas emergentes que

afectam os profissionais dos vários serviços de informação que actuam na zona Norte;

‐ Fomentar acordos de cooperação com outras associações de profissionais que possam intercriar e cooperar, na região Norte do país e na Galiza, tanto a nível de formação, realização de projectos e visitas profissionais de estudo:

_ANABAD Confederación de Asociaciones de Archiveros, Bibliotecarios, Museólogos y Documentalistas (comunidades autónomas de Aragón, Castilla‐La Mancha, Galicia, La Rioja y Murcia)

_Rede de Bibliotecas Escolares no Norte / DREN

_ Associações de Professores

_ Sindicatos da Administração Pública

_ Delegação da Cultura do Norte

_ Universidades públicas e privadas (sobretudo as que ministram cursos específicos na área da Ciência da Informação e Documentação)

_ Editores e livreiros

‐ Encetar aproximações a projectos e instituições associadas a nível nacional e internacional, em diálogo permanente com o Conselho Directivo Nacional, nomeadamente:

_ Plano Nacional de Leitura

_ INCITE

_ IFLA Online Learning Platform, sítio Web da IFLA, espaço para partilha de experiências, casos de estudo, planos de actividades de outras associações, procura de parcerias, e disponibilização de materiais.

2. INFORMAÇÃO

Sabemos quanto a informação é importante. Sabemos quanto pode ser difícil reunir os meios e os recursos para a localização da informação e sabemos ainda quanto pode tornar‐se útil e praticamente imprescindível para o dia a dia do profissional da informação, dispor, num único sítio de uma multiplicidade de recursos, de pistas orientadoras e metodológicas, de ferramentas de trabalho e simultaneamente de um espaço de diálogo e de intercâmbio.

Constitui propósito da presente lista:

‐ Continuar a desenvolver o blogue oficial da Delegação Regional da BAD Norte que servirá de contacto e diálogo com os associados nos itens: formação, informação geral, profissão, substituindo‐se assim, gradualmente à informação recebida em suporte papel, estática e unidireccional e em articulação com a Direcção Nacional, com o propósito: o de melhorar a participação e a visibilidade da Associação através das redes sociais.

‐ Colaborar com a sede na construção do sítio Web, e especificamente ao nível da sua estrutura e dinamização. A introdução de conteúdos numa plataforma de e‐Learning, criando um espaço virtual de formação e gestão do conhecimento e da informação deve constituir uma opção estratégica.

3. FORMAÇÃO

A formação constitui um dos pilares para o aumento das diversas competências dos profissionais, incrementando nos serviços nos quais estes se inserem, renovados saberes e maior inovação. Pensámos ser este momento, para em conjunto com a Direcção Nacional e os profissionais (associados e não associados), repensar e discutir o actual modelo de formação e as suas prioridades.

Constitui propósito da presente lista:

‐ Realizar ciclos de conferências temáticas, gratuitas para os associados, sobre assuntos emergentes;

‐ Promover um inquérito em linha sobre necessidades de formação na região Norte;

‐ Continuar a levar a cabo programas de formação conjuntamente com instituições universitárias do Norte do país (Faculdade de Filosofia de Braga da Universidade Católica, Universidade Portucalense, Faculdade de Letras da Universidade do Porto, Universidade Fernando Pessoa, Universidade do Minho, Instituto Politécnico do Porto/ESEIG ‐ Escola Superior de Estudos Industriais e de Gestão) e ainda desenvolver e descentralizar a informação para outros serviços e instituições, nomeadamente nos arquivos;

‐ Contribuir para criar uma carteira de profissionais qualificados para formação;

‐ Realizar formação “à medida” e por encomenda das instituições, desenvolvendo‐se a formação no próprio local de trabalho, podendo a formação, na sua componente prática, interagir no meio e na problemática da instituição onde ocorrerá. O objectivo é ir de encontro às necessidades dos profissionais;

‐ Permitir que os profissionais da informação e da documentação disponham de meios de formação para desenvolvimento pessoal e das instituições onde trabalham, de acordo com os desafios da sociedade de informação.

‐ Propor, para a formação contínua dos profissionais da Informação e da Documentação mais formação e‐learning, formação em horário pós‐laboral, assim como a introdução de novas temáticas de aprendizagem, como por ex.:

_ sindicação de conteúdos

_ programas de auto‐formação on‐line

_ inglês documental

_ softwares Open Acess

_ criação e manutenção de wikis, blogues.

_ utilização das novas tecnologias Web 2.0 nas bibliotecas e arquivos

_ visitas de estudo profissionais, acompanhadas por um tutor.

4. PROFISSÃO

Porque a profissão está no cerne das nossas preocupações, ao nível da defesa dos seus interesses e da promoção da sua maior visibilidade na sociedade civil, com maior incidência ao nível regional, constitui propósito da presente lista:

‐ Apresentar e acompanhar o desenvolvimento da certificação dos profissionais da informação no âmbito do Sistema Europeu de Certificação dos Profissionais da Informação e da Documentação e que se baseia no Euro‐referencial I‐D.

‐ Fomentar, através do maior conhecimento das necessidades dos profissionais que a Delegação Regional da BAD Norte representa, linhas de actuação concretas com vista à defesa dos interesses profissionais, por exemplo, através da apresentação de propostas, de tomadas de posição e de LUTA face a problemáticas‐chave:

○ Consolidação da Rede de Arquivos Municipais e difusão de Arquivos Privados e de Família, bem como Empresariais;

○ Revitalização da Rede de Bibliotecas Públicas, a consolidação da Rede de Bibliotecas Escolares;

○ Reconhecimento da formação específica dos profissionais de informação e consequentemente o direito a uma carreira específica.

‐ Propor para que um reformulado sítio Web da BAD se crie e nele seja desenvolvido um espaço em linha exclusivo dos associados, em diversas áreas, nomeadamente, nos domínios de auto‐formação, com livros, artigos, sítios web, provas de conhecimento para concursos que auxiliem a auto‐formação do profissional da informação; de disponibilização de ferramentas e de serviços interactivos que forneçam uma resposta personalizada a cada caso apresentado, nomeadamente um serviço de alerta informativo, um serviço SOS – um directório de perguntas frequentes dos associados e com respostas actualizadas e simples.

‐ Potencializar um serviço de apoio jurídico e aconselhamento ao associado da BAD para a defesa dos seus interesses e necessidades (obter informações, esclarecer dúvidas do foro jurídico), em estreita ligação com a Direcção Nacional, de forma gratuita (para assuntos de menor complexidade, para assuntos de maior complexidade jurídica, a BAD reencaminhá‐lo‐á para entidades especializadas).

5. CAUSAS SOCIAIS

A Delegação Regional da Zona Norte rege‐se nomeadamente pelos Estatutos da BAD e pelo Regulamento Interno da Delegação Norte, cabendo‐lhe, nessa medida promover uma melhor política e prática de Gestão da Informação, através da defesa do direito à informação.

Constitui propósito da presente lista:

‐ Fomentar uma maior envolvência de todos os associados da Região Norte na criação de actos públicos na sociedade civil, por exemplo, sobre a questão da defesa do empréstimo público gratuito nas bibliotecas portuguesas.

‐ Disponibilizar informações úteis sobre a acessibilidade de pessoas com deficiências a serviços públicos.

‐ Colaborar com as bibliotecas públicas na criação de uma bolsa de voluntariado que possa prestar auxílio domiciliar, no acesso à informação e ao conhecimento, através do livro e da leitura.

6. REVISÃO DO REGULAMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO

Constitui propósito da presente lista, em articulação com a Direcção Nacional

‐ Apresentar propostas para promover a adaptação dos estatutos da Associação à nova realidade do acesso à profissão: licenciados, pós‐graduados, mestres na área da Ciência da Informação e Documentação, etc.;

‐ Campanha de angariação de novos associados, com prévia alteração e adaptação de algumas facilidades no regulamento de forma a possibilitar a ágil adesão dos mesm0s.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: