Em debate: Bibliotecas Monásticas: os homens e os livros

Deixe um comentário

Realiza-se no próximo dia 10 de maio o seminário “Bibliotecas Monásticas: os homens e os livros“ promovido no âmbito dos seminários transdisciplinares em Tibães e da responsabilidade do CITCEM – Centro de Investigação Transdisciplinar «Cultura, Espaço e Memória». A Delegação Norte da BAD colabora na organização deste seminário do Mosteiro de Tibães que terá o seguinte programa:

Inscrições:

enviar mensagem para o endereço: msmtibaes@culturanorte.pt
ou ligar: 253 622 670
Inscrição: EUR 15,00 (inclui almoço na hospedaria do Mosteiro, visita ao Mosteiro, cafés, documentação e lembrança).

Consulte o cartaz do evento.

Anúncios

Biblioteca Municipal de Viana do Castelo

Deixe um comentário


maria_teresa_hortaNo próximo dia 30 de Março  de 2012, pelas 21h30 horas, na Sala Couto Viana, acontece: À conversa com… Maria Teresa Horta, a propósito da apresentação do seu livro intitulado “As Luzes de Leonor”.
Com esta iniciativa pretende-se promover, em torno do livro, o diálogo e a troca de conhecimentos com escritores contemporâneos, proporcionando a oportunidade de conviver de perto com os autores e a sua obra.

 

Sinopse

Leonor de Almeida Portugal, neta dos marqueses Romance de Távora, e que viria a ser a 4.a marquesa de Alorna, foi enclausurada em 1758, com a mãe e a irmã,  no convento de S. Félix,  em Chelas, por ordem do futuro marquês de Pombal.  Tinha 8 anos. Saiu com 27, precedida pela fama da sua beleza, Luzes e talento poético.

Admirada na Corte, torna-se valida da Rainha D. Maria, que apadrinha o seu casamento – contrariado pelo pai – com o conde de Oeynhausen, oficial alemão ao serviço do exército português. Leonor obtém para o marido o cargo de embaixador de Portugal em Viena de Áustria, abrindo para si as portas da Europa civilizada. De passagem por Paris e na capital austríaca, torna-se notada nos salões mais cultos. Convive com Maria Antonieta e sua mãe, a imperatriz Maria Teresa. Sempre rodeada de livros e cadernos, percorre as estradas da Alemanha, França e Espanha. Vive, arrebatada, os primeiros passos da Revolução Francesa. De regresso a Portugal, enfrenta as intrigas montadas contra ela pela mediocridade da Corte do regente D. João.

Viúva desde 1793, acaba expulsa do país, em 1803, por iniciativa de Pina Manique, que via nela uma perigosa jacobina, e do embaixador francês Lannes, pressionado por Paris a agir contra a agente anti-napoleónica condessa de Oeynhausen, que entretanto se tornara amante do jovem general da Vendeia, Henri Forestier

A Autora

Maria Teresa Horta nasceu em Lisboa, onde frequentou a Faculdade de Letras. Jornalista e crítica literária, estreou-se na poesia, em 1960, com Espelho Inicial, tendo participado no ano seguinte no volume Poesia 61, com Tatuagem.

No romance surge com Ambas as Mãos Sobre o Corpo, em 1970, e no ano seguinte, conjuntamente com Maria Isabel Barreno e Maria Velho da Costa, publica Novas Cartas Portuguesas,  obra que valeu às autoras um processo judicial «por ofensa à moral pública» e que está editada em numerosos países.
Destacam-se ainda Ema (Prémio Ficção Revista Mulheres) e A Paixão Segundo Constança H. Em 2004, foi condecorada pelo Presidente da República Jorge Sampaio com o grau de Grande Oficial da Ordem do Infante D. Henrique. E, em 2010, foi distinguida com o Prémio Máxima Vida Literária pelo seu livro Poesia Reunida. O romance As luzes de Leonor, publicado em 2011, valeu à autora o “Prémio Literário D. Dinis”, instituído pela Fundação Casa de Mateus.

Informação: http://www.biblioteca.cm-viana-castelo.pt/

Atelier de promoção do gosto pela leitura…

Deixe um comentário

…em Vila Real!
Precisa de um programa para o próximo fim-de-semana?

Vá à Biblioteca da sua região: muitas estão abertas ao Sábado. No próximo, às 16h00, pais e filhos até aos 10, podem participar num atelier que visa promover o gosto pela leitura. E quem se deixa apaixonar pela leitura, ganha um tesouro! Experimente! Se não existe na sua biblioteca, fale com o bibliotecário e sugira a realização de actividades.

Hora do? conto! Na Biblioteca Municipal de Chaves.

Deixe um comentário

Todas as quintas para grupos organizados, mediante marcação prévia, a biblioteca proporciona aos mais novos uma hora de descoberta e de imaginação, no âmbito da promoção e do gosto pela leitura e estimulação do interesse em partilhar livros.

É ainda possível a marcação prévia no formulário disponível no blogue para o efeito! Parabéns, Biblioteca! (Inscrições).

Exposição – O Portugal do século XIX – Aspectos da Vida Social e Política na obra de Júlio Dinis

Deixe um comentário

Estará patente até 29 de Fevereiro na Biblioteca Municipal José Régio, a exposição: O Portugal do século XIX – aspectos da vida social e política na obra de Júlio Dinis.

Partindo da obra do Júlio Dinis, somos convidados a percorrer, através desta exposição,  o  século XIX português. Remetendo para um  país conservador e economicamente apoiado na agricultura,  cujas figuras de referência são o padre, o mestre escola e  o médico,  percebem-se,  no entanto,  ventos de mudança a vários níveis. Júlio Dinis foi um dos mais populares escritores do século XIX, destacando-se na sua obra títulos como A Morgadinha dos Canaviais, Os Fidalgos da Casa Mourisca, As Pupilas do Sr. Reitor, Uma Família Inglesa, entre outros. A exposição, da responsabilidade da Câmara Municipal de Ovar,  está patente até ao fim de Fevereiro… em Vila do Conde.

Escritores Famalicenses do Séc. XIX: Sousa Fernandes

Deixe um comentário

Biblioteca Municipal Camilo Castelo Branco – Escritores Famalicenses do Séc. XIX: Sousa Fernandes

até 29 de fevereiro de 2012
“Joaquim José de Sousa Fernandes nasceu em Vila Nova de Famalicão no mês de Janeiro de 1849. Era filho de António Joaquim Fernandes e de Justa Maria de Sousa Fernandes.”

Autores de Fafe na Biblioteca Municipal de Fafe

Deixe um comentário

Para celebrar o Dia dos Namorados, a Biblioteca Municipal de Fafe divulgou vários poemas de Amor, de conceituados autores locais. Os poemas selecionados foram colados em corações, feitos em cartolina, que depois de agarrados a balões de ar vermelhos e brancos foram espalhados pelos vários espaços da biblioteca, dando um novo colorido aos mesmos.
Com esta actividade a biblioteca pretendeu junto dos seus leitores, por um lado, incentivar o gosto pela poesia, mas também, chamar a atenção destes para a riqueza literária do seu Fundo Local e, obviamente, celebrar o Amor, já que é um dos temas mais recorrentes da nossa literatura.
Aceda à seleção de poemas que estiveram em destaque na atividade promovida pela BM Fafe, tal como:

BREVE POEMA DE AMOR

Com o aroma das rosas
te escrevo em trigo e sonho e beijo
Desenho-te em vogais
de pétalas interiores ao cristal ao linho
Adoro-te em sílabas de orvalho
como se cantam as madrugadas da paixão
nas asas quentes do vento
As curvas do teu sorriso
acordam as cotovias
quando a primavera regressa
carregada do vermelho ardente das papoilas
As horas passam as noites os olhos sem fim
E nada mais sobra para além do coração
ao encontro dos dias maduros das abelhas
onde o meu querer-te em harpas floresce
Artur F. Coimbra
[Fonte: BIBLIOfafe]

Older Entries

%d bloggers like this: